terça-feira, 14 de julho de 2009

De mim pra você.

- êi, olha alí... bem alí na frente. olha vai. corre, olha. ô, sumiu. nem sei o que era... talvez fosse minha alma, ou o desejo de ser ela.Será que ela morreu? então... olha lá encima. É noite. olha vai... ta vendo? aprendi quando pequena que, quando alguém morre vira estrela. se minha alma morreu, deve ter virado estrela, né? Alma é alguém? segue a luz. sumiu! sumi! é o labirinto dos olhos amendoados,estes meus olhos. toma, guarda contigo e veja a minha estrela.

[ ps: a frase " Que seja doce"" da imagem é do Caio Fernando Abreu, livro: Os Dragões não conhecem o paraíso.]

4 comentários:

  1. Ela (a alma) pode até voar, sair, passear, dar uns "bodejos" e tal...Mas não morre...nunca mesmo!!!È eterna, é imortal...é pra sempre!!!
    Amei teu texto, poeta!!!
    Paz, luz e alegria...todo dia!

    ResponderExcluir
  2. Como sempre, perfeita. eu adorei!!

    ResponderExcluir
  3. Texto curto e profundo ...Como a alma dos poetas imortais eihn Manndy , jogou duro , curti mesmo viajei e enxerguei olhos atentos d crianças como duas jaboticabas , lindo! Almas são pra sempre como os sentimentos verdadeiros . Muita luz

    ResponderExcluir
  4. Coisa mais linda essa linda *-*

    ResponderExcluir